ENCONTRO DE MONTANHA PÁSCOA 2004

9-10 Abril 2004

As condições climatéricas adversas que se fizeram sentir nas zonas mais montanhosas da Madeira, com chuva, vento forte e nevoeiro, alteraram a actividade inicialmente prevista para o Paúl da Serra, realizando-se um percurso pedestre no vale da ribeira da Ponta de Sol e escalada no cais da Ribeira Brava e na Praia Formosa.

_____________________________________

9 Abril - Sexta

Depois de uma fria visita ao Paúl da Serra, começamos a nossa marcha no Lombo das Terças, na pequena levada que outrora irrigou imensas parcelas agrícolas na margem direita da ribeira da Ponta de Sol, e onde alguns agricultores mais resistentes ainda continuam a produzir couves, batatas, feijão e milho.

Esta levada, que já não transporta água, tem um patamar estreito e à medida que nos aproximamos do seu início a vegetação começa a dificultar a passagem. Aqui a vegetação primitiva começa a competir com a vegetação exótica na ocupação da área abandonada pelos agricultores, destacando-se pela sua abundância os barbusanos, os loureiros, alguns marmulanos e a globulária.

Antes de chegarmos à madre da levada, atravessamos um túnel que ao longo da sua extensão nos surpreendia com várias aberturas para o exterior. Vencido este obstáculo, a levada apresenta-se ainda com mais vegetação e logo que foi possível, atalhamos para o leito da ribeira, ocasião aproveitada para merendar e apreciar o sol radiante e uma paisagem dominada pelo verde tenro dos seixos (Salix canariensis).

Após a merenda subimos a ribeira passando pela madre da Levada do Moinho e chegamos à da Levada Nova, continuando por este canal que neste local, retira praticamente toda a água da ribeira da Ponta de Sol.

Um pouco mais à frente, chegamos ao ex-libris deste percurso, quando a levada cruza o ribeiro frio - uma bonita cascata que costuma ser motivo para muitas fotografias, mas agora, desviada do seu curso natural, a água é ainda encaminhada através de uma “folha de zinco” para a levada (lá se foi a fotografia!!)!

Seguiu-se pela frente outro túnel com cerca de 200 metros, onde vários visitantes desprevenidos palparam no escuro as paredes para atravessá-lo. A levada continua serpenteando a vertente da ribeira da Ponta de Sol, com bonitas panorâmicas sobre o vale e com a igreja da Lombada da Ponta de Sol e parte do Solar dos Esmeraldos em destaque.

Chegados à igreja, ainda com muito sol fomos para o cais da Ribeira Brava. Nas falésias viradas a Sul, ao lado do pequeno farol, fomos exercitar o corpo e desafiar a gravidade numa sessão de escalada e rapel.

_____________________________________

10 Abril - Sábado

Logo pelas 10 da manhã, estávamos já na Praia Formosa para mais uma sessão de escalada, desta vez aproveitando o equipamento existente nas vias da Praia dos Namorados.

O desafio foi escalar “a abrir” (escalada desde a base colocando seguranças intermédias). A adrenalina foi maior para alguns, ainda pouco acostumados.

A chuva voltou a marcar presença e fez com que acabássemos mais este encontro de montanha junto ao mar, fugindo da chuva!!!

A aventura continua já no próximo fim-de-semana com uma dupla jornada de orientação nos dias 17 e 18 de Abril!