Percurso Pedestre Poiso-Camacha

2 Novembro 2003

Numa iniciativa da secção de montanhismo do Ludi Gim Aventura Clube, realizou-se no passado Domingo, dia 2 de Novembro de 2003, mais uma marcha de montanha que levou os participantes do Poiso à Camacha.

Partimos do Poiso logo pela manhã, eram 8h15, caíam uns chuviscos mas nada de molhar!? Entramos numa floresta escura de Pseudo-tsugas onde “apareciam” de vez em quando alguns cogumelos coloridos.

Já no Montado do Pereiro (hoje mais dos castanheiros do que dos pereiros), seguimos entre uma floresta variada constituída por Castanheiros, Faias Europeias, Cupressus (“Cedros”), Cryptomerias, Acácias e algumas espécies da terra: Loureiros, Tís, Cedros da Madeira e Folhados. Na época de comer castanhas, este percurso proporcionou várias oportunidades para os que gostam de recolhe-las na floresta, pois a chuva caiu nos dias anteriores e os ouriços soltaram as suas prisioneiras!

Após 3km de suave caminhada, avistamos o Funchal, uma bonita panorâmica da civilização a partir do fresco da serra.

Chegados à Ribeira dos Boieiros, ainda chegamos a tempo de cruzar com o rebanho! Apressadas lá iam as ovelhas e seu pastor para mais uma jornada de sobrevivência...!? À nossa volta as cores aumentavam de intensidade, os Carvalhos Americanos pintavam o vermelho, as Faias e Castanheiros todos os tons de amarelo até castanho, os Pinheiros e Abetos os verdes, um autêntico e fabuloso quadro da estação, como em alguns países exóticos!

Ribeira dos Boieiros (passagem por um rebanho)#Ribeira dos Boieiros (cores do Outono)

Mais à frente, na Figueirinha entramos na paisagem rural, poios com couves, feijão e mais junto dos ribeiros, vimeiros ainda resistem as novas tecnologias!? Uma azenha abandonada, pronuncio de culturas de outros tempos é envolvida por vegetação e serve agora de abrigo as aranhas.

Figueirinha (casa abandonada)#Figueirinha (plantações)

Depois deste recanto, atravessamos a Ribeira do Porto Novo entrando num carreiro na sua margem esquerda. Os vestígios da recuperação da nossa floresta tornam-se evidentes, os Loureiros e os Vinháticos dominam a ocupação, uns folhados e algumas Uveiras da Serra completam a “força” da Natureza.

Ribeira do Porto Novo#Levada do Pico do Arvoredo

Ultrapassado o aperto do vale, andamos até à Choupana, aqui a agricultura ainda molda grande parte do terreno disponível e mantêm o mato limpo.

Chegados à confluência do Ribeiro Serrão subimos para a levada do Pico do Arvoredo. Muitos Vinháticos ladeiam este canal que se junta à Levada da Serra perto do acesso ao Largo da Achada.

Após 4 horas de caminho sem pressas, os que conseguiram madrugar chegaram ao centro da Camacha repleta de visitantes “domingueiros”!