Dos 0 aos 1818 - Funchal - Pico do Areeiro
9 de Agosto de 2008

Partir do Funchal junto ao mar e chegar ao Pico do Areeiro a pé, foi o desafio proposto pelo Clube Aventura da Madeira no passado Sábado, dia 9 de Agosto de 2008.
Repetindo uma iniciativa de anos anteriores, dez amantes das caminhadas de montanha aceitaram o repto, recolheram água no mar ainda não eram 9 da manhã e fizeram-se ao caminho.
Numa primeira fase percorrendo as ruas da urbe funchalense em jeito de aquecimento para a subida agreste do caminho da Rochinha, para logo sair de vez do asfalto ao entrar na Levada do Bom Sucesso. Um manto nublado escondia o Sol, facilitando a íngreme subida do corredor verde para a Levada dos Tornos, onde se atravessou o túnel da Babosas passando do vale da Ribeira de João Gomes para o vale da Ribeira de Santa Luzia. Até chegar à ponte do Pisão passaram-se as primeiras 2h40min de passeio.
A escalada dos metros continuou, subir dos 600 metros para os 1000 metros de altitude em pouco mais de 2km foi duro, mas o ziguezagueado do terreno ajudou a camuflar o desnível e em pouco tempo a Levada do Barreiro foi o itinerário a seguir.
Sucederam-se bonitas panorâmicas sobre o vale da Ribeira de Santa Luzia e rapidamente o mar nuvens foi ultrapassado, passando o Sol a evaporar o suor acrescido dos caminheiros. No fim da Levada do Barreiro, a caminhada continuou na margem da Ribeira do Cidral até próximo do Poço da Neve e 1600 metros de desnível já estavam ultrapassados, com cerca de 5 horas de actividade e muito sol em campo aberto.
O final da marcha foi ao longo da margem esquerda da Ribeira de Santa Luzia onde seguimos até aos 1700 metros de altitude e mais uns metros o objectivo final já estava à vista. Cerca de 1000 metros mais a subir e 100 metros de desnível e os dez participantes estavam no topo do Pico do Areeiro para assinalar a superação do desafio, derramando a água do mar recolhida pela manhã na praia junto à Praça da Autonomia. Foram 1818 metros de desnível, seis horas de caminhada, bonitas paisagens e recantos, umas calorias queimadas e muita boa disposição. Em breve há mais, para não desabituar o corpo ao relevo da ilha.